ÍndicesMediçõesPrevisõesZonamentoEstatísticasDownloadInformações

  SitemapQualidade do ArContactos




Fontes dos poluentes em causa Índice

As fontes dos diversos poluentes, bem como os efeitos que cada um dos poluentes origina são bastante diferentes. As diferentes características começam pois logo pelos diferentes modos como são gerados os poluentes, assim é possível à partida distinguir dois tipos de poluentes:

 Poluentes Primários, são aqueles que são emitidos directamente pelas fontes para a atmosfera, sendo expelidos directamente por estas (p.ex. os gases que provêm do tubo de escape de um veículo automóvel ou de uma chaminé de uma fábrica).
Exemplos: monóxido de carbono (CO), óxidos de azoto (NOx) constituídos pelo monóxido de azoto (NO) e pelo dióxido de azoto (NO2), dióxido de enxofre (SO2) ou as partículas em suspensão.

Poluentes Secundários, os que resultam de reacções químicas que ocorrem na atmosfera e onde participam alguns poluentes primários.
Exemplo: o ozono troposférico (O3), o qual resulta de reacções fotoquímicas, isto é realizadas na presença de luz solar, que se estabelecem entre os óxidos de azoto, o monóxido de carbono ou os Compostos Orgânicos Voláteis (COV).

No quadro seguinte são apresentadas sinteticamente as principais fontes dos poluentes englobados no cálculo do índice, bem como uma breve descrição de algumas características físicas e químicas destes.


Poluente Características fisico-químicas Fontes
CO
(monóxido de carbono)
incolor
inodoro
tráfego (especialmente veículos sem catalisador)
indústrias
NO2
(dióxido de azoto)
castanho claro, quando em baixas concentrações
cria uma brisa castanha desagradável, em altas concentrações
tráfego
sector industrial, em geral, dado que é o resultado da queima de combustíveis a temperaturas mais ou menos elevadas
SO2
(dióxido de enxofre)
incolor
inodoro, em baixas concentrações
cheiro intenso a enxofre, quando há altas concentrações
sector industrial (especialmente refinarias, caldeiras queimando combustíveis com altos teores de enxofre - p.ex. fuelóleo, indústria química e pastas de papel)
O3
(ozono)
incolor, embora seja o principal constituinte do smog fotoquímico, que se traduz por uma névoa que se forma alguns metros acima da superfície do solo forma-se ao nível do solo como resultado de reacções químicas que se estabelecem entre alguns poluentes primários, tais como os óxidos de azoto, os compostos orgânicos voláteis (COV) ou o monóxido de carbono. Estas reacções dão-se na presença de luz solar, sendo particularmente importantes no verão.
Poluentes primários provêm de:

tráfego
indústrias
aterros sanitários
tintas e solventes
florestas (principalmente COV)
pequenas fontes (estações de serviço, equipamentos mecânicos de jardinagem
PM10
(partículas)
material sólido ou pequenas gotículas de fumo, poeiras e vapor condensado no ar tráfego
sector industrial (cimenteiras, indústria química, refinarias, siderurgias, pastas de papel, extracção de madeiras,...)
obras de construção civil
processos agrícolas (ex. aragem dos solos)


 

Os poluentes usados no cálculo do índice Efeitos dos poluentes